Aly Almeida (à esquerda) e Cleinaldo Costa assinam convênio, durante solenidade realizada na sede do Governo do Amazonas. Fotos:  Nathalie Brasil (Divulgação-Secom). Texto: Isaac Júnior (Ascom/FVO) e Amanda Mota (Ascom/UEA)
Aly Almeida (à esquerda) e Cleinaldo Costa assinam convênio, durante solenidade realizada na sede do Governo do Amazonas. Fotos: Nathalie Brasil (Divulgação-Secom). Texto: Isaac Júnior (Ascom/FVO) e Amanda Mota (Ascom/UEA)

O diretor-presidente da Fundação Vila Olímpica Danilo Duarte de Mattos Areosa (FVO), Aly Almeida, e o reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Cleinaldo Costa, assinaram nesta segunda-feira (21), um Convênio de Cooperação Técnica que vai possibilitar a utilização da Vila Olímpica de Manaus pela comunidade acadêmica e, consequentemente, a oferta de suporte técnico e de pessoal aos atletas e ao público atendidos nos projetos esportivos desenvolvidos pelo Governo do Amazonas no complexo esportivo.

A assinatura ocorreu no auditório da sede do Governo do Amazonas, em solenidade que contou com a participação do diretor da Faculdade de Educação Física da UEA, Jéferson Jurema; da pró-reitora de Interiorização da instituição, Samara Barbosa; e dos deputados Adjuto Afonso (PP), Francisco Souza (PSC) e Carlos Alberto (PRB), além de professores, estudantes e outras personalidades ligadas aos esporte.

A proposta é que a Vila Olímpica seja transformada num grande laboratório para a formação de novos profissionais de educação física.

“Nossa juventude requer bons exemplos e, nesse sentido, o esporte assume uma característica relacionada à qualidade de vida das pessoas. Com esse convênio, teremos profissionais formados com um caráter de alto desempenho. O foco é trabalhar qualidade de vida buscando a promoção de saúde. Esse é um patrimônio individual e coletivo também”, disse Cleinaldo Costa.

Com a parceria, que foi costurada entre Aly Almeida e o professor doutor em Sociologia do Esporte e atual diretor do curso na UEA, Jefferson Jurema, os alunos terão aulas práticas e poderão aprender os principais aspectos pedagógicos relacionados aos esportes olímpicos, que hoje são desenvolvidos no próprio local.

“Todos passarão a fazer residência, desde o primeiro ano de curso e, quando estiverem formados, estarão prontos para a atividade em nível bem mais alto”, enfatizou Aly Almeida.

Gestor destaca a importância dese formar  profissionais com conhecimento olímpico. Foto - Nathalie Brasil (Divulgação-Secom)

Gestor destaca a importância de se formar profissionais com conhecimento olímpico

20151221_095055

Fotos: Isaac Júnior (Ascom/FVO)

 

“Vamos oferecer projetos de academia em várias modalidades esportivas para cerca de 3 mil crianças, além de outros projetos voltados para a comunidade acadêmica e público em geral, como academia popular, ciclismo, atividades funcionais, entre outros”, disse Jurema, ao revelar que, como contrapartida, os atletas de ponta atendidos na Vila Olímpica terão suporte na parte de medicina e odontologia, entre outras atividades necessárias ao desenvolvimento do alto rendimento.

Acadêmicos e outros convidados presentes à solenidade

Acadêmicos e outros convidados presentes à solenidade

Entre os quais profissionais ligadas ao esporte e servidores da FVO

Entre os quais profissionais ligadas ao esporte e servidores da FVO

 

Ciclo olímpico – De acordo com o gestor, a meta é que também seja inserido nesse processo, o projeto de intercâmbio com a Universidade de Colônia, na Alemanha, ou até mesmo de instituições localizadas nos Estados Unidos, para a formação de atletas e grandes técnicos, dentro do período de tempo conhecido com ciclo olímpico (de quatro a oito anos).

“Não temos formado novos treinadores. Hoje, os que saem da universidade procuram dar aula ou vão para as academias. Essa é a realidade. Precisamos fabricar profissionais com conhecimento olímpico”, frisou Aly Almeida.

20151221_095701

Aly Almeida falando aos presentes

 

Modalidades – Entre as modalidades olímpicas que hoje estão em plena atividade no complexo e que serão beneficiadas pela parceria estão a ginástica, natação, polo aquático, atletismo, tiro com arco, judô, boxe, luta livre olímpica, tênis de mesa, vôlei, basquete e handebol. A proposta de abrir as portas da Vila Olímpica abrangerá não somente os acadêmicos da UEA, mas toda a população que frequenta o local e que hoje ultrapassa a 4 mil pessoas.

Além dos programas do Governo do Amazonas para a formação de atletas, os espaços são utilizados para a realização de treinos e competições oficiais das federações e entidades desportivas do Estado. A vila também tem projetos voltados para a comunidade.

O espaço possui 228.288m² destinados à prática de todas as modalidades esportivas. Está localizada no conjunto Dom Pedro, bairro Planalto, zona centro-oeste. Possui pista de atletismo, parque aquático, quatro quadras esportivas, um ginásio para ginástica olímpica em fase final de construção, além de pista de caminhada, kartódromo, alojamento, auditório, biblioteca e restaurante.