Em virtude da necessidade de ser construída na cidade de Manaus uma Vila Olímpica constituída de conjuntos destinados à prática de todas as modalidades esportivas, foi criada em 1970 a Vila Olímpica de Manaus, no Governo de Danilo Duarte de Mattos Areosa (1968-1972), através do Decreto Nº 1947/1970.

Os primeiros passos para a construção da Vila Olímpica foram dados com a edificação do Estádio Vivaldo Lima, que teve sua efetiva construção iniciada no Governo de Henoch da Silva Reis, em 1976, pela Construtora SM Indústria e Comércio. Em 1978, as obras sofreram uma paralisação que perdurou por 10 anos, sendo reiniciada no Governo de Amazonino Mendes (1987-1990), pela Construtora COMAGI, com parcerias da SUFRAMA e da Caixa Econômica Federal.

Inaugurada oficialmente no dia 25 de março de 1990, pelo então Governador Amazonino Mendes, a Vila Olímpica veio concretizar um sonho de várias gerações de desportistas amazonenses que sempre desejaram um Centro de Treinamento de Alto Nível, além de incentivar e contribuir de maneira decisiva para o desenvolvimento do esporte amador amazonense, através de programas de iniciação esportiva e de rendimento, de realização de atividades comunitárias e da Escola de Desporto Especial.

Constituída de conjuntos destinados à prática de todas as modalidades de esportes, a Fundação Vila Olímpica – Danilo Duarte de Areosa Mattos possui sob sua administração: a Vila Olímpica Humberto Calderaro Filho; os ginásios de esportes Renee Monteiro e Elias Assayag (Parintins); as arenas Amadeu Teixeira e Arena da Amazônia – Vivaldo Lima, os estádios Carlos Zamith (Coroado) e Ismael Benigno (Colina), além das demais áreas desportivas construídas ou que venham a ser construídas pelo Governo Estadual.

Atualmente, a média de atendimento aos atletas e comunitários é de 5 mil usuários/mês, além da realização de competições oficias das entidades de Administração Estadual do Desporto.

Dirigente: Aly Jorge Almeida – Diretor Presidente.